Rondônia, 24 de Setembro de 2018
ESPORTES

Após primeira vitória no UFC, Sheymon sonha deixar de morar na academia

Fonte: Assessoria
  • Após primeira vitória no UFC, Sheymon sonha deixar de morar na academia
A emoção tomou conta do rosto de Sheymon Moraes, após vencer pela primeira vez no Ultimate, por decisão unânime, no UFC 227, sábado, em Los Angeles (EUA), contra Matt Saylles. O resultado trouxe alívio ao atleta, que não sentia o sabor da vitória desde 2016, mas as lágrias quase saíram dos olhos quando ele falou sobre o fato de estar morando na academia Black House.

- Eu estava precisando dessa vitória, estava há quase três anos sem vencer, já tava bem desmotivado. A vida vem sendo dura, meu filho está crescendo, e eu morando numa academia. A galera acha que estou morando aqui nos Estados Unidos e tudo são mil flores. Não é. A gente passa dificuldade. Sou atleta do UFC e não tenho nenhum patrocínio. É difícil, às vezes dá vontade de desistir, de arrumar outro emprego, mas essa vitória me motiva. Agora é tentar voltar a lutar o mais rápido possível, corrigir os erros. Estou muito feliz por vencer, ainda mais nessa cidade que me acolheu. Estou morando há quase cinco anos aqui, meu filho nasceu aqui, é sensacional isso.

Sheymon Moraes, de 27 anos, passa por um momento conturbado em sua vida. Chegou a trabalhar como motorista de aplicativos de transporte e conta que o fim de seu relacionamento o levou para a academia.

- Eu me separei, meu filho mora com a mãe dele, por enquanto. Vou ver se alugo um lugarzinho para mim, e talvez role uns patrocínios para ajudar também. Se Deus quiser, em breve, eu saio da academia. Vou evoluir ainda mais. Até um dia antes da viagem para a China que eu fiz para lutar, eu estava dirigindo (como motorista do aplicativo) e peguei uma hérnia de disco, não estava conseguindo andar direito. Estava difícil pagar meu aluguel. É muita pressão, estava ficando muito triste. Eu não tava conseguindo entrar na luta, vendo tudo em câmera lenta, não era eu ali. Agora vi a luta melhor, mas já quero outro para pegar o ritmo. Quero mais atividade, porque com ritmo de luta, acho que eu tenho tudo pra chegar nas cabeças.

No UFC 227, contra Saylles , a vontade era tanta de vencer, que o brasileiro tentou ser cauteloso e não se expor na sequência de golpes. No terceiro round, quando a vitória por decisão já estava encaminhada, Shaymon, segundo o próprio, usou sua “malandragem carioca”.

- No finzinho, eu já tinha a certeza da vitória e não queria me expor. Ele encaixou a mão direita muito forte e, no final da luta, eu estava enxergando meio embaçado. Tentei me movimentar, levar naquela malandragem carioca ali, fazendo careta para ele não me tocar. Desde o início do terceiro round eu sabia que eu estava ganhando a luta.

Fonte: COMBATE
  • Após primeira vitória no UFC, Sheymon sonha deixar de morar na academia