Rondônia, 18 de Julho de 2019
ESPORTES

Fernando Alonso deixa McLaren, e futuro do espanhol no automobilismo é uma incógnita

Fonte: Assessoria
  • Fernando Alonso deixa McLaren, e futuro do espanhol no automobilismo é uma incógnita
Por GloboEsporte.com

A segunda passagem de Fernando Alonso na equipe McLaren está finalizada. Após quatro temporadas na Fórmula 1 e duas incursões nas 500 Milhas de Indianápolis, as partes chegaram a um acordo, e o piloto de 38 anos está livre no mercado. Recentemente o espanhol já havia encerrado seu vínculo com a Toyota no Mundial de Endurance (WEC). No começo do ano, Alonso participou de testes com o carro da McLaren, e existia a expectativa de mais treinos. Mas agora a parceria Alonso x McLaren faz parte do passado.

- Fernando, como todos os pilotos da McLaren do passado e do presente, sempre fará parte da família McLaren e nós temos um forte relacionamento com ele. Não temos planos de chamá-lo em nenhuma outra sessão de testes de F1 este ano, já que nosso foco permanece em Carlos (Sainz) e Lando (Norris). Ele está livre para buscar outras oportunidades no automobilismo e nós o apoiamos em fazê-lo - disse um porta-voz da McLaren ao site "Motorsport Magazine".

Depois de uma conturbada primeira passagem pela equipe em 2007, Alonso voltou em 2015 e apostou as fichas na união entre McLaren e Honda para voltar a vencer corridas na F1. No entanto, o fabricante japonês teve imensas dificuldades nos primeiros anos e, após uma série de quebras, sem contar a falta de potência do motor, Alonso começou a criticar a Honda publicamente.

Após muita pressão do espanhol, a McLaren encerrou a parceria com a Honda no fim de 2017 e passou a usar motores Renault. No entanto, a equipe também não conseguiu fazer um carro competitivo, e o bicampeão mundial decidiu deixar a F1 para se concentrar no sonho de conquistar a Tríplice Coroa do automobilismo, formada pelo GP de Mônaco, as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans.

Em 2017, o espanhol havia disputado pela primeira vez a Indy 500 num esquema conjunto da McLaren com a equipe Andretti, e Alonso chegou a liderar a prova antes de abandonar. No ano passado, Fernando correu em Le Mans pela Toyota e venceu, feito repetido em 2019. Já a segunda tentativa de vencer em Indianápolis, com uma operação que tinha só a McLaren, se transformou em pesadelo depois que o espanhol não se classificou para o grid.

Este ano, as relações de Alonso com Toyota e McLaren se desgastaram, e o espanhol chega ao meio do ano fora das duas equipes. Embora manifeste o desejo de seguir correndo profissionalmente, o desejo de vencer a Indy 500 e igualar Graham Hill, até hoje o único a ganhar a Tríplice Coroa, ficou mais distante.
  • Fernando Alonso deixa McLaren, e futuro do espanhol no automobilismo é uma incógnita