Rondônia, 23 de Setembro de 2017
MUNDO

Policial é morto no Cáucaso russo em ataque reivindicado pelo Estado Islâmico

Fonte: Assessoria
Por France Presse

m policial foi morto e outro ficou ferido em um ataque a faca reivindicado pelo grupo Estado islâmico (EI) em Kaspiisk, no Daguestão, uma república instável do Cáucaso russo.
Este ataque contra policiais ocorre dez dias depois que um jovem, que jurou lealdade ao grupo terrorista, esfaqueou sete pessoas em Surgut, na Sibéria ocidental.

Em ambos os casos, as autoridades russas abriram investigações por tentativa de homicídio, e não por "atos terroristas", apesar das reivindicações do EI.

Além disso, nem após Surgut, nem depois de Kaspiisk, as autoridades comentaram esses ataques, que foram sobriamente cobertos pela imprensa russa.

"Por volta das 9h da manhã (3h de Brasília), dois homens não identificados esfaquearam dois policiais em um posto de combustível", afirmou em um comunicado a unidade de investigação local do Comitê de Investigação, organismo responsável pelos principais casos criminais na Rússia.

"Um policial morreu por seus ferimentos", e "os agressores foram eliminados", acrescentou o comitê, indicando a abertura de uma investigação por "tentativa de assassinato de um representante da lei".

De acordo com a televisão russa Rossiia 24, os dois homens foram mortos por um terceiro policial.

O grupo Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo ataque, chamando os agressores de "soldados" da organização jihadista, por meio de um comunicado emitido por sua agência de propaganda Amaq. A nota foi citada pelo centro americano de monitoramento de páginas extremistas SITE.

Os atacantes eram "muito jovens", informou a televisão russa, exibindo imagens de vestígios de sangue em uma rua em Kaspiisk, cidade de 100 mil habitantes localizada no Mar Cáspio, 20 quilômetros ao sul da capital do Daguestão, Makhachkala.
Em paralelo, um membro das forças de segurança foi morto, e outro, ferido, em uma operação "para neutralizar foras da lei armados" em Khassaviourt, uma região montanhosa a 115 quilômetros de Kaspiisk, anunciou o Comitê Nacional Antiterrorista (NAK) em um comunicado.

As autoridades não relacionaram os dois casos.

República do Cáucaso russo onde uma rebelião armada islâmica segue ativa, o Daguestão é regularmente abalado por incidentes e ataques, particularmente do Estado Islâmico, contra as forças de segurança.